Sofejos na música

O que é solfejo e qual sua importância na música

Usar o solfejo para praticar o canto ou instrumentos pode elevar o seu conhecimento musical.

Porém, muitas pessoas não sabem o que é e qual a importância do solfejo.

Por isso, nesse artigo vamos te ensinar sobre o que é e como o solfejo pode ajudar na sua jornada com a música.

O que é o solfejo?

As partituras é uma famosa e universal (padronizada mundialmente) forma de escrever e documentar as músicas.

A partitura contém símbolos que permitem ao músico executar as notas da música no tempo certo.

Assim, mesmo que nunca tenha escutado a música na vida, ao seguir a partitura vai conseguir executar a música fielmente.

Usar uma partitura, para um iniciante, é difícil. Porém, existe uma técnica que pode ser feita para aprimorar essa leitura. Que é exatament o solfejo.

O aluno deve cantar e fazer os sons corretos das notas presentes na partitura. Além disso, a técnica é usada principalmente nas aulas de teoria musical.

Antes de tudo, é importante dizer que os solfejos estão relacionados às figuras musicais.

Por isso, antes de fazer a técnica, é preciso estudar. Então, antes de iniciar deve saber o que são figuras como semibreve, colcheia e mínima.

Qual é a importância do solfejo no canto

Muitas pessoas associam as partituras apenas com instrumentos musicais. Mas, elas também podem ser utilizadas no canto.

Com o solfejo, é possível aprimorar as técnicas muito mais rápido. Afinal, ele traz diversos benefícios quando aplicado, por exemplo:

  • Maior compreensão de fraseado;
  • É mais fácil perceber os intervalos;
  • Maior percepção na troca das tonalidades;
  • Atingir uma alfabetização musical em até mesmo menos de um ano.

Isso acontece por ser uma atividade que trabalha muitos pontos da música. Assim, o aluno pode melhorar:

Todos esses benefícios mostram que estudar partitura vem com muitas vantagens para cantores.

Desse jeito, seus conhecimentos musicais aumentam e fica mais simples desenvolver suas habilidades.

Quais os tipos de solfejos

Tipos de solfejo

Não existe somente um tipo de solfejo. Dentro dele, existem dois principais: o rítmico e o melódico. Ambos possuem diferenças importantes na hora do estudo.

Solfejo Rítmico

Os solfejos rítmicos são feitos quando o nome e a altura dos sons não são importantes. Ou seja, você apenas leva em consideração o tempo de execução da nota na partitura.

Além disso, também pode ser chamado de leitura rítmica.

Antes de partir para o melódico, faça primeiro o solfejo rítmico. Afinal, nele não é preciso se preocupar com entonação. Desse jeito, você entende melhor o tempo da música.

Na leitura rítmica, é preciso ter atenção em algumas partes. Por exemplo, em exercícios é importante ter:

  • Precisão métrica e rítmica;
  • Andamento correto;
  • Tempo constante, sem pausas;
  • Atenção na dinâmica e alterações de tempo, se tiver.

É importante usar um metrônomo para auxílio na prática do solfejo rítmico.

Solfejo Melódico

O melódico, por outro lado, se preocupa com o nome e execução correta das notas.

É importante que o aluno tenha entendido a parte rítmica antes de iniciar o solfejo melódico.

Assim, já vai estar acostumado com o tempo e poderá focar sua atenção para outras partes.

Ao fazer uma leitura melódica é preciso apresentar outras habilidades. Por exemplo, o aluno deve ter:

  • Uma afinação correta;
  • Dinâmica e articulação;
  • Entendimento dos fraseados;
  • Andamento e precisão rítmica.

Dicas para aprender

É preciso seguir alguns passos para conseguir fazer um bom solfejo. Por isso, veja algumas dicas para atingir esse conhecimento.

1. Figuras musicais e leitura da partitura

Antes de começar os solfejos, é essencial saber ler a partitura e as figuras musicais. Afinal, você precisa saber o que cada uma significa para dar a entonação certa.

É possível associar a leitura de uma partitura com leitura de códigos no computador. No início vai ser difícil. Mas, é como aprender uma nova língua e, mas com alguma prática, você logo vai estar fluente.

Fazer a prática de leitura da partitura todo dia vai melhorar o sua habilidade de compreensão. Então, antes de partir para os solfejos, separe alguns minutos para estudar a partitura.

Porém, caso já esteja acostumado com essa parte, pode passar para a próxima.

2. Leitura rítmica

Agora que você já sabe sobre figuras musicais e partituras, passe para a leitura rítmica. Ou seja, o solfejo rítmico.

Cada figura musical corresponde a um tempo. Assim, você pode realizar a leitura rítmica. Isto é, ler sem dar atenção ao tom e aos nomes das notas.

É preciso praticar para a leitura rítmica ficar automática. Desse jeito, você pode passar para a próxima parte que exige atenção na entonação.

Então, vai ser possível fazer os solfejos sem precisar se preocupar com o tempo, por ser algo que já sabe de forma involuntária.

3. Leitura métrica

Antes de entrar no solfejo de fato, é importante ir aos poucos. Afinal, você vai se acostumando com cada parte de uma vez. No fim, atingir os solfejos vai ser bem mais fácil.

É por isso que a leitura métrica vem antes dos solfejos. Ou seja, fazer a leitura rítmica, mas dessa vez falando todas as notas.

4. Com partituras difíceis

Algumas partituras podem ser mais complicadas do que outras. Assim, mesmo seguindo todas as dicas, os solfejos podem não ficar bons. É preciso mais prática.

Uma boa dica é fazer escalas no tom do solfejo. Suba e desça a tonalidade muitas vezes, o quanto quiser. Depois, vá para os arpejos, que são notas tocadas uma após a outra.

Treine sempre para melhorar a técnica. Então, quando se sentir preparado, passe para a próxima dica.

5. Faça o solfejo

Agora que já aprendeu o passo a passo de como fazer, é hora de realizá-lo. Assim, comece a fazer hoje mesmo.

Você vai perceber que a leitura rítmica e métrica será automática. Desse jeito, é capaz de se concentrar nas notas que precisam ser atingidas.

É possível encontrar partituras da internet para treinar. Além disso, tente usar várias diferentes. Com isso, você se acostuma a fazer solfejos com qualquer partitura.

Para aprimorar a técnica também é preciso procurar por partituras mais complicadas. No fim, você vai estar experiente com os solfejos.

Continue treinando

Treine solfejo

Os solfejos são uma parte primordial do conhecimento musical. Com eles, é possível evoluir muito. Ainda mais, eles são tanto para instrumentos quanto para o canto.

Você poderá abrir diversas portas depois de aprender a realizá-los. Então, pratique sempre. O ideal é separar alguns minutos por dia para estudar.

Conseguir fazer solfejos pode ser muito difícil, ainda mais no início. Porém, não desista e continue treinando sempre. Saber alcançá-los vai fazer uma enorme diferença no seu aprendizado musical.

Desta forma finalizamos nosso artigo. Esperamos que você tenha curtido esse conteúdo que preparamos pra você.

Mas antes de nos despedirmos vamos deixar aqui sugestões de outros artigos aqui do nosso site que talvez você possa gostar. A matemática dos melismas perfeitos.

Também vale a pena conferir O que é o falsete e como aplica-lo com maestria.

Então muito obrigada por nos prestigiar com sua presença. Volte sempre que desejar!

Um abraço e até mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.