Voz de apito: assobie com sua laringe

Se você se já escutou intérpretes como Mariah Carey, Ariana Grande, Vitas e Dimash Kudaibergen, certamente deve ter se perguntado como eles alcançam notas tão agudas.

Esses cantores utilizam, com maestria, a voz de apito, também chamada de registro de assobio ou whistle.

É, simplesmente, o registro vocal mais agudo da voz humana. Mas que fique claro: não tem nada a ver com a voz de cabeça e nem com o falsete.

Aliás, você sabe o que acontece fisiologicamente, ao fazer a voz de apito?  Qualquer pessoa consegue alcançar esse registro?  Qual a técnica para executá-lo?

É o que vamos descobrir agora.

As pregas vocais na voz de apito

voz apito 2

O whistle é um dos registros vocais  mais peculiares já catalogados pelos teóricos do canto.

Abarca os hiperagudos e, diferentemente de outros registros, as pregas vocais não apresentam massa vibratória perceptível.

Neste caso, elas ficam super esticadas, muito finas e com fechamento glótico quase completo, exceto por um pequeno orifício. É nele que passa o ar e é produzido um som semelhante a um assobio.

É, portanto, um tipo de “assobio” ou “apito” realizado na laringe.

Flauta x voz de apito

O chamado “registro de flauta” também é caracterizado por hiperagudos. Por esta razão, alguns teóricos preferem colocá-lo como sinônimo de whistle.

Porém, outros especialistas, como Sílvia Pinho, classificam como um registro à parte, entre a voz de cabeça e a voz de apito. O motivo é que as pregas vocais, apesar de bem esticadas, ainda trazem algum teor de vibração glótica.

Sua emissão se dá a partir do Sol 5 – referente ao Sol na quinta oitava no piano. Já a voz de apito acontece, segundo teóricos do canto, a partir do Dó 6.

Ciclos vibratórios por segundo

Curiosidades sobre a voz de apito

Ainda sobre a vibração das pregas vocais, é importante mencionar os ciclos vibratórios por segundo, ou hertz.

Durante a emissão de notas graves, as pregas vibram mais lentamente, ou seja, têm frequência vibratória baixa (menor número de hertz).

Também estão mais espessas e curtas por ação do músculo tireoaritenoideo (TA).

Já na emissão dos agudos, com predominância da ação do músculo cricotireoideo (CT), as pregas vocais vibram mais rapidamente e estão mais esticadas.

Na região da voz de apito, como já foi explicado, essa vibração excepcionalmente parece não acontecer, por uma questão fisiológica.

Então, ocorre um outro mecanismo, para que o cantor consiga atingir agudos tão proeminentes.

Para se ter ideia, o whistle mais agudo já registrado no mundo e cuja marca está no Guinness Book, é um Sol 10, equivalente a cerca de 25 mil hertz.

A detentora do recorde é a cantora brasileira Georgia Brown, que também tem a maior extensão vocal feminina, de oito oitavas.

Seria impossível fisiologicamente que as mucosas das pregas vocais conseguissem vibrar em frequência tão alta, a qual nem é captada pela audição humana.

Craques do whistle

Além de Georgia Brown, vários outros cantores do Brasil e do exterior são referência em voz de apito.

Mariah Carey é o exemplo mais clássico. Nos anos 90, quando explodiu na carreira com o álbum “Vision of Love”, ela usou e abusou do whistle em várias faixas, inclusive na canção-título.

Também impressiona sua performance em “Emotions”, de seu segundo álbum.

Outro que arriscou na interpretação de “Emotions” foi o brasileiro Gabriel Henrique.

O cantor, que vem ganhando fama pelos covers de cantoras famosas e pela voz de apito, alcançou, com louvor, a nota mais alta da canção, um Dó sustenido 7.

Já na música “I Wanna Know What Love Is”, do grupo Foreigner e regravada por Mariah Carey, Gabriel foi além: chegou ao Re 7.

Mas há outros homens com desempenho ainda mais impressionante. O russo Vitas já atingiu o Si 7, enquanto o cazaquistanês Dimash arrebatou seus fãs com um Re 8.

O australiano Adam Lopez deteve durante algum tempo o recorde de voz masculina mais aguda, ao fazer um Mi bemol 8.

Entretanto, o chinês Wang Xiaolong ultrapassou a marca em dezembro de 2017, com um Mi 8 – um semitom acima, portanto.

Podemos citar, ainda, mais uma brasileira, Vanessa Caran, cuja nota ápice é um Sol sustenido 8.

Um registro acessível a qualquer pessoa… Será?

voz apito 3

Qualquer pessoa, homem ou mulher, com voz mais grave ou mais aguda, consegue fazer a voz de apito?

Não há uma resposta unânime, mas alguns especialistas acreditam que é, sim, possível, contanto que a voz esteja saudável.

O tempo para chegar lá, porém, vai variar de pessoa para pessoa.

Um homem com pregas bem grandes e espessas, com tendência a fazer notas mais graves, irá precisar de um ajuste fisiológico maior.

Ou seja: muito exercício e muita prática serão necessários, para que suas pregas vocais tenham capacidade de se alongar adequadamente até o nível do whistle.

Já as pessoas com pregas mais tênues e habituadas a notas agudas, provavelmente terão menos dificuldade.

Seja qual for a sua situação, a voz de apito é um processo. Ela passa a ser uma possibilidade real a partir do desenvolvimento saudável da voz.

Com a técnica vocal adequada e realizada de forma periódica, o aluno aprenderá a ajustar sua musculatura laríngea e a transitar entre vários registros. O whistle será uma consequência – entre várias – de todo esse trabalho.

Como vimos a saúde da voz é importante para alcançar esse registro. Então leia também nosso artigo sobre Cuidados Com a Voz: Como Preservar e Aprimorar a Saúde Vocal.

Exercícios para voz de apito

Exercícios pra treinar voz de apito

Pelas suas características diferenciadas, o whistle pode ser encarado como um ornamento.

Afinal, não dá para “dar a louca” e emitir voz de apito do início ao fim de uma música.

São emissões pontuais, que podem ser mais frequentes que o vocal fry, mas sem exagero, para não estragar a estética da canção.

Iremos agora explicar algumas técnicas para quem deseja aprender a fazer a voz de apito. Tudo da forma mais simples possível.

Entretanto, fica o alerta: se você ainda é um novato no canto, aprenda um pouco mais, na prática, sobre outros registros, antes de se aventurar no whistle.

Seja qual for o exercício, vale a regra de ouro: relaxe! Não deixe nada em sua garganta tensionado. E utilize pouco fluxo de ar. Vamos lá?

Exercício 1 – Bocejo em “Ah”

  • ➡️Inspire pela boca, deixando-a bem aberta, em formato oval.
  • ➡️Segure a respiração rapidamente. Sinta como se o ar estivesse pressionando levemente a garganta.
  • ➡️Solte o som em “Ah” como se estivesse bocejando e com o som o mais agudo que conseguir.
  • ➡️Quando estiver habituado ao exercício, esse som agudo tenderá a sair com voz de apito.

Exercício 2 – Cachorrinho chorão

  • ➡️Imagine um filhote de cachorrinho chorando.
  • ➡️Tente imitar esse som com a boca fechada, o mais agudo possível. Para isso, você deve tentar abaixar a mandíbula, ainda com a boca fechada, para abrir mais o trato vocal.
  • ➡️Agora, faça o mesmo som do cachorrinho chorão com a boca aberta.
  • ➡️Como no exercício anterior, você irá sentir o ar pressionando levemente a garganta.

Finalizamos por aqui nosso artigo. Esperamos que você tenhas curtido a leitura.

Então conte-nos como foi sua experiência no campo de comentários aqui abaixo!

Bons estudos e até a próxima!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima