Cuidados Com a Voz: Como Preservar e Aprimorar a Saúde Vocal

Professores, atores, locutores, palestrantes, dubladores… Há uma infinidade de profissionais que dependem da voz. E, claro, os cantores.

E a pergunta que nunca quer calar é: como cuidar da voz e melhorar a saúde vocal?

Em primeiro lugar, preservar e aprimorar a saúde vocal não é algo secundário. Não é uma preocupação para “mais tarde”.

É uma prioridade na vida de quem se dedica ao canto.

E não apenas traz benefícios incríveis às nossas apresentações e gravações. A saúde vocal é determinante na continuidade de nossa carreira.

Afinal, o que seria um cantor sem voz?

Assim, vejamos algumas dicas excelentes e funcionais de como preservar e aprimorar a saúde vocal.

Como a voz funciona

Embora pareça tema óbvio, é muito válido nos fixarmos um tanto nesta questão. Isso porque, tendo entendimento claro, podemos policiar nossas ações no dia a dia e, especialmente, durante as execuções de canto.

Sabemos que o ar entra pelo nariz e boca. Percorre a laringe, alimenta os pulmões e, mais tarde, é expelido.

E também sabemos que, quando expelido, vibra as cordas vocais.

E é essa vibração das cordas que vocais que produz nossa amada voz.

Agora, pense numa comparação: um portão de correr enferrujado. Imagine que, cada vez que é aberto ou fechado, ele sofre impactos.

Isso sem falar no sofrimento para correr pelo trilho.

Sinceramente: este portão durará muito mais? Ou será que precisará de reparos ou substituição.

No entanto, trazendo o pensamento para a saúde vocal, como consertar ou substituir nossas cordas vocais?

E, mesmo que possível, quanto custa isso? Quais não são os riscos?

Sim: Axl Rose, Steven Tyler e Adele são exemplos de cirurgias de sucesso na superação de problemas com a saúde vocal.

Mas, convenhamos: quem tem tanto dinheiro quanto eles? Por isso, é melhor ter sempre cuidado com a voz.

Preservar nossas cordas vocais é o ponto chave da manutenção da saúde vocal.

O que evitar em nome da saúde vocal

O achismo

Entre vários itens que se deve evitar, os quais apontaria adiante, chamo atenção para o mais perigoso de todos: o achismo.

O achismo é um grande vilão na manutenção da saúde vocal.

Acontece que simpatias, chás milagrosos e costumes até podem parecer verdade. Porém, no fundo, provavelmente trarão grande prejuízo para sua voz.

E, consequentemente, seu canto.

Embora inerente aos seres humanos, a voz é objeto de estudo das ciências. Medicina, Fonoaudiologia e Música encarregam-se dela com muito carinho e atenção.

Se um especialista ou um estudo diz “não faça isto”, não teime. Eles estão buscando o melhor para você.

E, claro, estão fundamentados em conhecimento real. Nada de achismos.

O golinho de conhaque

Apenas como anedota, fui a um show amador, em SP, há alguns anos. A banda prometia muito já no aquecimento.

Meus companheiros de mesa diziam empolgados: “Essa mina canta muito! Vozeirão incrível!”.

E tinha mesmo.

No entanto, logo na segunda música, sua voz começou a fraquejar. Os agudos ficaram áfonos. Foram duas músicas de arromba.

Mas preciso perguntar: duas músicas de arromba derrubariam um cantor preparado? Depois de assistir a shows de Blind Guardian e André Matos (in memoriam), temo que não.

Acontece que o aquecimento — e o digo porque vi — foi bebida alcoólica.

Com o trato vocal anestesiado pelo álcool, a cantora sentiu poder mais do que, realmente, podia.

E não parou nisso: sentindo murchar seu potencial, ela insistiu. “Um golinho de conhaque e fico nova”, disse ao microfone.

Resultado? Perdeu completamente a voz em mais uma música.

O que seria um show acabou virando um karaokê. A cantora não pôde sustentar sua posição à frente da banda. Triste, não?

O problema do álcool

Meio que já deixei escapar. Porém tratemos com maior atenção.

Já chegou cansado, em casa, depois de um dia cheio e abriu aquela cervejinha para relaxar? A dor nas pernas, nas costas ou mesmo enxaqueca não sumiu?

Não foi como tirar com a mão?

Isso acontece porque o álcool é um inibidor. E, sim, inibe, também a timidez. Mas não para por aí.

Ele produz um efeito anestésico no corpo. Nas cordas vocais, nos incapacita de sentir adequadamente qual esforço estamos fazendo.

Além disso, acaba por resseca-las.

E tudo piora quando anestesia-se a timidez. Dá aquela vontade de virar Tina Turner, não é mesmo?

Por isso, se deseja que sua saúde vocal esteja em dia, evite o álcool. Especialmente nas vésperas e nas execuções de canto.

“E depois? Pode?”, você deve estar se perguntando. Mas o melhor seria, também, evitar. Deixe que se recupere seu trato vocal.

Cigarro e álcool - Inimigos da saúde vocal
Cigarro e álcool: Inimigos da Saúde Vocal

Um cigarrinho para parecer descolado

Outro grande inimigo da saúde vocal é o cigarro. Da saúde como um todo, no fim das contas.

No caso da voz, o cigarro superaquece as cordas vocais, provocando choques térmicos. Além disso, prejudica as vias respiratórias, diminuindo a elasticidade dos pulmões.

Mais ainda, efeitos prejudiciais que resultam do consumo de cigarro danificam as cordas e alteram o timbre vocal. Pigarros, tosses e rouquidão, por exemplo.

São todos resultado do ressecamento das vias e produção excessiva de muco.

Os dois primeiros podem te deixar de calças curtas durante uma apresentação. O terceiro, pode te impedir de cantar determinados estilos mais limpos e suaves.

Muito risco, não é mesmo?

Nem quente, nem frio

gelo e fogo, cuidado com a voz não consumir extremos.

Reparou como apontei o superaquecimento das cordas vocais como um problema?

E é! Um enorme!

Principalmente quando estamos perto do horário do canto, é bom evitar consumir produtos quentes ou gelados.

Temperatura ambiente é ideal.

Ao final, quando já estiver se recuperando da execução, bebidas levemente geladas podem ajudar na recuperação das cordas vocais.

Mas atente-se aos sinais de seu próprio corpo.

Gritos e sussurros

Todo mundo acaba por conhecer a anedota de Celine Dion, uma das mais finas vozes do POP. Segundo relata, ela não fala antes de shows.

 Apenas sussurra. Mas isso ajuda?

Na verdade, segundo profissionais, o sussurro prejudica a saúde vocal. E isso se deve ao esforço necessário para sussurrar.

Não relaxa as cordas. As estressa.

Já o grito, não preciso nem dizer. Um grito mal pensado, dentro ou fora do palco/estúdio pode colocar tudo a perder. O grito estressa violentamente as cordas vocais, levando-as à exaustão.

Diz-se que, num grito a plenos pulmões, o ar ultrapassa as cordas vocais a, em média 80km/h.

Com certeza não é algo que fará bem para a saúde vocal.

Exercícios físicos de impacto elevado

Repare como halterofilistas tencionam os músculos do pescoço durante as provas. É possível ver os tendões e veias a saltar por sobre a pele.

Acontece que exercícios físicos que cobram muito da parte superior do corpo também podem prejudicar a saúde vocal.

Recomenda-se, em seu lugar, que o cantor ou profissional da voz realize atividades de baixo impacto, como caminhada e natação.

Caminhada uma Atividade física leve para cantores cuidarem da voz

E, caso suas apresentações pautem-se em performance, tome cuidado. Dançar, pular e correr enquanto se canta pode, também, machucar as cordas vocais.

O ideal é que estejam relaxadas.

Se não há outra opção, como em apresentações de Axé e afins, opte pelo playback. Sua saúde vocal deve estar em primeiro lugar.

Extrapolação dos limites de timbre e frequência

Todos possuímos nossa própria voz, com seu timbre e frequência característica. Faz parte de nossa personalidade. E, na música, funciona como nossa assinatura.

Ocorre que todo artista acaba por possuir seu ídolo. E, mesmo inconscientemente, é bastante comum que busque-se parecer ao máximo com ele.

É inegável que as vozes mais marcantes costumam estar nos limites do possível. Michael Jackson, Elza Soares, Freddie Mercury, Louis Armstrong, Tim Maia.

Há incontáveis exemplos.

No entanto, embora seja possível, por técnica, conseguir aproximar-se dessas vozes, é perigoso. E perigoso especialmente quando não nos dedicamos ao estudo adequado.

Quando se deseja executar um cover não totalmente adequado para nossa voz, o melhor é transpor e rearranjar.

Converse com a banda. Peça alteração do tom, se necessário.

Mas nunca leve sua voz além do limite. Isso pode atrapalhar permanentemente sua saúde vocal.

Trabalhando a saúde vocal de forma proativa

Nem tudo se resume ao que evitar, na preservação e aprimoramento da saúde vocal. Há, também, boas práticas proativas, que devem ser observadas.

O estudo propriamente dito

Estudar canto abre um novo leque de oportunidades imenso.

Ensina novas técnicas, melhora a respiração e postura, entre outras vantagens.

Esses elementos, muito além de engrandecer os resultados, colaboram com a preservação da saúde vocal.

Embora pagar um professor não esteja ao alcance de todos, é possível fazer aulas de canto pela internet.

Exercícios físicos leves

Ainda que exercícios pesados e de grande em pacto afetem a saúde vocal, é preciso fugir do sedentarismo.

Busque caminhar, praticar corridas brandas, nadar e exercitar-se com aeróbicos.

Relaxamento com base na respiração

 Não é preciso meditar, de modo propriamente dito. Entretanto o estresse causado por uma gravação ou apresentação podem afetar as cordas vocais.

Para evitar desconfortos de tal natureza, fechar os olhos, inspirar e expirar longa e pausadamente ajudam a retomar o controle.

Silêncio e aquecimento

O momento em que a saúde vocal deve estar em seu ápice é o momento de cantar. E, antes dele, é preciso estar preparado.

Falar baixo ou, se possível, não falar por algum tempo é essencial para estar com as cordas vocais devidamente relaxadas.

E servirão, também, na recuperação da voz, ao final de tudo.

Casos de rouquidão leve podem ser facilmente solucionados com o silêncio e hidratação.

Importa saber que a automedicação nunca deve ser realizada. Nas situações em que a rouquidão persista demais, é preciso buscar ajuda médica.

Quando ao aquecimento vocal, é primordial como preparação para qualquer atividade física. E cantar, é claro, está entre elas.

Comece produzindo sons confortáveis. Em seguida, alterne notas. O ideal é reconhecer como comporta-se seu trato vocal.

Aquecer-se antes de uma sessão de canto é determinante na qualidade da execução e na saúde vocal.

Acompanhamento médico e profissional

Determinadas condições, como fissuras, calos, etc. não necessariamente se devem a hábitos do cantor.

Por isso, ao encontrar qualquer tipo persistente de dificuldade, busque ajuda profissional.

Esperamos ter ajudado a você, cantor ou profissional da voz.

Todas as dicas e conselhos resultaram de um trabalho profundo de pesquisa, consolidando o melhor para você.

Se gostou, compartilhe esta matéria em suas redes sociais. Deixe, também, o seu comentário com dúvidas, sugestões ou apontamentos.

Esperamos por você aqui, novamente.

Até logo!

Crédito imagem de capa: Freepick

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *