Drive Vocal – Como Cantar Rock sem Prejudicar sua Voz

O rock tem como característica o peso e a intensidade do som.

É uma mistura de guitarras, base e solo ou bases oitavadas, com um baixo segurando um grave pesado para sustentar a intensidade, porque guitarras pesadas sem um bom som grave não passam de “meras guitarras sem peso”, e uma bateria que chama a responsa com levadas bem marcadas, um bumbo forte, impactado por um pedal simples, mas chamativo, ou o famoso pedal duplo.

Isto sim é rock and roll!

Agora, imagina neste contexto uma voz estilo bossa nova? Não dá né?

O vocal tem que acompanhar esta levada, tem que ter peso, tem que ter impacto, tem que ter força, tem que chamar a atenção para momentos que precisam chamar a atenção.

Não adianta um vocal bonito sem força, é necessário a expressão vocal intensa, expressando a letra com uma grande e alta potência.

É necessário que o vocalista desenvolva o Drive Vocal.

Drive vocal no rock and roll

O que é Drive Vocal?

O Drive Vocal é uma técnica vocal que permite ao vocalista dar mais força e intensidade na voz.

É a técnica perfeita que faz com que o vocalista ligue um pedal de drive, e automaticamente a voz terá uma potência incrível no momento que precisar.

Artistas que Usam

Os artistas que usam este tipo de técnica, geralmente são do rock e metal. Alguns exemplos são: Músicos que usam: Steven Tyler (Aerosmith), Cris Cornel (Audioslave), David Coverdale (Whitesnake), Mauro Henrique (Oficina G3), James Dio (Black Sabbath), Guilherme Sá (Rosa de Saron), entre vários outros no ramo do rock e do metal.

Há outras bandas de rock em que os vocalistas não aplicam esta técnica, mas dependendo, esta técnica não é exatamente uma regra no ramo musical do estilo rock n roll, porém, certamente quem usa, consegue dar uma potência maior na harmonia de forma geral.

O que se precisa para realizar esta técnica?

É necessário que o vocalista:

É importante ter isto como base, porque isto vai ajudar no momento de aplicar a técnica, pois não adiante querer usar uma técnica que pode ser considerada intermediária para avançada (tanto que não se ensina esta técnica tanto em aulas de canto, uma vez que esta é uma técnica bem voltada para estilos com mais pegada), e não ter pelo menos o básico muito bem feito.

Faça sem pressa, sempre buscando desenvolver a técnica aos poucos.

Drive Vocal através da técnica Fry

O que é o fry? Fry é uma técnica que consiste em corrigir a postura da prega vocal. No início pode parecer incômodo, mas certamente com o tempo de prática, esta técnica estará bem acomodada.

É como se soltasse um pouco de ar com uma sonoridade mais grave e rouca, porém pouco ar.

No início, mantenha um treinamento desta forma, para que haja uma estabilidade vocal, e que possa perceber um pouco da técnica, sentindo a sonoridade e o ar saindo.

Com o tempo, comece a sair do grave, e passe a atingir sonoridades mais agudas. Neste momento, passará a desenvolver o drive em outros tons.

Existe um exemplo bem legal sobre isto, uma forma de esclarecer um pouco mais sobre esta técnica.

Pegue um balão comum de festa, encha de ar, e depois solte o ar, porém de forma que a ponta da bexiga esteja bem esticada. Neste esticamento da ponta da bexiga, vai perceber que o som vai sair rasgado e espremido.

Lembre-se disto: o som do drive sai devido a adução das pregas vestibulares.

Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *