Exercícios de respiração para o canto

Os 5 melhores exercícios de respiração para cantar

Exercícios de respiração são determinantes para a qualidade do canto. Contudo mesmo que você realize outros trabalhos com a voz, seu domínio torna-se imprescindível.

Atores de teatro, locutores e palestrantes podem e devem, também, beneficiar-se muito deles. Afinal, respiração é vida. E ninguém depende dela tanto quanto nossa voz.

Por isso, você, cantor ou trabalhador do universo vocal, fique por aqui. Hoje, mostraremos 5 exercícios de respiração magníficos para melhorar nosso fôlego e engrandecer nossa expressão vocal.

Vem comigo!

A importância dos exercícios de respiração para o canto

Ao perguntarmos os benefícios dos exercícios de respiração, muitas respostas surgem. De imediato, pensamos no fôlego. Não é mesmo? E tem toda a razão.

Quanto mais “treinados” nossos pulmões, mais aptos estão a receber mais ar.

Isso porque, nos exercícios de respiração, trabalhamos o inflar e esvaziar deles. Buscamos deixar cada vez mais espaço para o ar novo e oxigenado.

Fazendo isso, conseguimos permanecer funcionais por mais tempo. Em consequência, sustentamos linhas vocais mais longas. Tudo com ajuda dos exercícios de respiração.

No entanto os benefícios não param por aí. Há outros elementos importantes, os quais resultam destes exercícios de respiração.

Vejamos, então, alguns deles:

Redução do estresse mental e ansiedade

Se você já teve contato com técnicas de meditação, provavelmente viu a importância do respirar bem. Nestas práticas, todo ou boa parte do esforço se concentra na respiração.

Há inumeráveis métodos bem antigos pautados exclusivamente no inspirar e expirar com controle.

Isso acontece porque, longe de apenas “mais fôlego”, exercícios de respiração fazem bem para nossa mente.

Perto de uma apresentação ou mesmo diante do palco, a ansiedade vem. Podemos ficar nervosos ou estressados. É muito comum mesmo com cantores de longa data.

Fazendo exercícios de respiração constantemente, o método torna-se usual. Acabamos nos acostumando a respirar bem e a manter postura.

Assim, quando estamos numa situação desconfortável, podemos nos beneficiar do retorno à paz. Os exercícios de respiração, nesses casos, diminuem nosso ritmo cardíaco. A paz é resultado.

Manutenção de nossa saúde vocal

Outro benefício dos exercícios de respiração repousa no trato vocal. A respiração correta preserva nossas cordas vocais e nos torna cantores melhores.

Ao respirarmos mal, acabamos “soprando” muito ar, como se gritássemos. Fazendo isso, produzimos mais tensão em nossa laringe. Potencialmente, ferimentos e calos vêm a ocorrer.

Além disso, expirar forte pode ressecar nossas vias respiratórios, provocando outras complicações. Pigarros, tosse e rouquidão são exemplos de inimigos do canto.

Melhora da postura de palco e projeção vocal

Um dos principais pontos de atenção nos exercícios de respiração é a postura. Precisamos ter ombros e cabeça equilibrado. As costas devem estar retas, e o dorso relaxado.

Com isso, o resultado acaba sendo uma expressão corporal mais segura e profissional.

Além disso, conseguimos melhor projeção vocal com exercícios de respiração. E isso porque teremos a cabeça elevada e o pescoço relaxado.

Maior resistência física

O canto pede muito do cantor. É um tremendo exercício cantar durante horas. Afinal, todo nosso corpo está comprometido com aquele ato.

Portanto, ainda que você não dance enquanto cante, precisa dos exercícios de respiração. Eles alimentarão as células do seu corpo com o alimento do oxigênio.

A boa respiração também nos ajuda a oxigenar melhor nossos órgãos e tecidos. Tudo como resultado dos exercícios de respiração.

Um bônus divertido dos exercícios de respiração

Este benefício fica com um caráter mais cômico. Porém não é de todo inverdade: exercícios de respiração te ajudam a ganhar aquele abdômen “tanquinho”.

Mas é claro que estou exagerando, né? Apenas quero que você comece já a fazer seus exercícios de respiração.

A grande questão da brincadeira é que a respiração diafragmática mexe com muitos músculos. Vários deles na região do abdômen.

Já reparou que, ao gargalhar demais, a barriga dói? E dói pelo esforço implícito na ação deste tecido.

Caso não saiba, é o diafragma o grande responsável por esvaziar os pulmões. E, ao movermos o diafragma, empurramos os órgãos do abdômen para fora e para dentro. Por isso a barriga incha e encolhe.

Por tal, até nisso os exercícios de respiração podem ajudar você. Um segredo importante, não é mesmo?

Conhecendo os 5 exercícios de respiração

De imediato, posso supor que você já entendeu quão benéficos são os exercícios de respiração.

Então, passemos a conhecer cada um deles. Aplicá-los corretamente é a grande chave para melhorar nosso canto.

Elementos comuns em todos os exercícios de respiração

Para não nos repetirmos em cada um dos 5, saiba o seguinte: todos, todos e todos se valerão de alguns pontos de máxima importância.

Descumpri-los pode atrapalhar seu progresso. E ninguém deseja que você despenda tempo em vão nos exercícios de respiração. Por isso, atenção.

Postura ereta

Toda vez que for realizar um dos exercícios de respiração, atente-se à postura. E não importa se o fizer em pé em sentado.

Lembre-se, como antedito, de manter a coluna ereta. Se em pé, deixe as pernas levemente afastadas, suportando bem o corpo em equilíbrio.

A seguir, relaxe os ombros e braços. Se for o caso, você pode juntar as mãos sobre o abdômen, usando-o de apoio.

Por fim, acalme os músculos do pescoço mirando como se o horizonte. Não mantenha a cabeça nem abaixada nem levantada. O pescoço deve estar relaxado.

Ombros quietos

Respirar bem implica em manter os ombros parados. Assim, nos exercícios de respiração, atente-se para jamais movê-los para frente ou para trás. E explico:

Lembra de quando o médico pedia para você “respirar fundo”? O que você fazia? Inflava o peito, lançando os ombros para trás, certo? É disso que falo.

A respiração para o canto usa o diafragma. Então, quando inspiramos, a barriga infla — e não o peito. Ao expirarmos, os órgãos retornam ao seu lugar, e a barriga se recolhe.

Ter as mãos na barriga ajuda a controlar este movimento. Especialmente enquanto ainda não for algo natural para você.

Porém não se esqueça: exercícios de respiração bem feitos são sinônimo de ombros quietos. Combinado?

Esvaziar bem antes de preencher

Também faz parte dos exercícios de respiração começar com o pé direito. E, com isso, refiro-me a encher os pulmões de ar novo e rico.

Para tal, você precisará, primeiro, mandar para fora todo o ar antigo e pobre. E o fará com ajuda do abdômen.

É simples: sem inspirar previamente, sopre todo o ar que resta em seus pulmões. Encolha a barriga leve e lentamente, no processo.

Você verá quanto ar restava em seu pulmão entre as respirações inconscientes.

Fazendo isso, agora sim você pode inspirar lenta e profundamente, enriquecendo seu corpo com novo ar.

E atenção: tonturas podem ocorrer. E, para prevenir acidentes, quiçá seja bom fazê-lo sentado até se acostumar

Exercício 1

No primeiro dos exercícios de respiração, vamos seguir os passos comuns até nos acostumarmos. E pode parecer bobagem, mas não é.

Lembrar de tudo que dissemos antes é determinante para o sucesso de nossos esforços.

Desse modo, lembre-se dos benefícios que busca encontrar. Pode fechar os olhos e mentalizar cada um deles. É uma espécie de meditação motivacional.

Quando estiver confiante, assuma a postura, esvazie os pulmões e comece a treinar o diafragma. Barriga vai, barriga vem. Sempre mantendo os ombros quietos e o pescoço relaxado.

Repita todos esses passos até estar confortável com eles. Aí, sim, você pode progredir para outros exercícios de respiração. Isso com a certeza de estar no caminho certo.

Exercício 2

Pronto! Você já domina postura, ombros e abdômen. Agora, passemos ao segundo dos exercícios de respiração. E este é bem divertido: trata-se da gargalhada.

Mesmo sendo um ato irreverente e informal, rir mexe com nosso diafragma e com o abdômen. Ainda, permite que abramos bem a boca, deixando o ar escapar sem violência.

Durante o tempo destes exercícios de respiração, infle bem os pulmões. Com eles cheios, solte gargalhadas até tê-los vazios novamente.

Repita o processo até sentir os músculos. Eles se fortalecerão à medida que executa a tarefa.

Apenas tenha em mente não gargalhar muito alto, para não ferir a garganta. E tenha sempre um copinho com água perto de você, para hidratar sua laringe.

Exercício 3

Agora, sim, começamos com os exercícios de respiração mais profissionais. Afinal, você já está acostumado com a postura e já trabalha bem o diafragma.

Neste terceiro dos exercícios de respiração, vamos unir respiração e voz. Tudo bem?

Postura correta, esvazie e infle os pulmões. Aguarde um segundos e, então, cante o “Dó — Ré — Mi”. Isso mesmo: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si, Dó. Todos num mesmo fôlego.

Nesta etapa, não importa se usou o tom certo. Importa que cante cada nota como se lembra. E o suporte de um instrumento pode te ajudar, se o tiver. Mas sem encanação, tudo bem?

O importante, de verdade, é que você faça todas as notas numa única respiração.

Com o tempo, você deve tentar demorar-se mais em cada uma delas. Sem se forçar demais, certo? Basta que consiga cantar as sete notas sem ficar sem ar.

Encontrando dificuldade, provavelmente seja bom retomar os exercícios de respiração 1 e 2. Mais tarde, com mais treino, você retoma o número 3 com melhores resultados.

Exercício 4

Este dos exercícios de respiração não é muito diferente do anterior. Contudo conta com o apoio motivacional de usar uma música querida.

Nele, você buscará cantar uma linha de uma música conhecida. O segredo é inspirar o menor número possível de vezes, cantando frases longas.

Só não se deixe sentir tontura ou se forçar demais. Busque uma relação saudável entre o ar que inspira e fôlego que sustenta.

Exercício 5

Como último dos exercícios de respiração, você se gravará cantando. E o motivo é muito simples:

Você precisa se certificar de que sua respiração é saudável e plena. E ninguém melhor que um microfone para fazer esse trabalho.

Com o celular na mão, grave-se cantando. Mantenha a boca não muito longe do microfone do aparelho. Mais tarde, ouça e descubra que a sopro em excesso ou respirações feias.

E, por respirações feias, refiro-me àquelas que parecem ataques de asma. E, não: não é engraçado. Respirar com muita violência deixa os pulmões carentes e fere as cordas vocais.

Por isso é tão importante ouvir-se e remediar qualquer falha. A qualidade de seu canto depende disso.

Repita os exercícios de respiração com frequência e sem medo de dar um passo atrás, se necessário. Você vai colher tantos benefícios que, sem dúvida, digo: vale muito a pena!

Agora, se ficou qualquer dúvida, basta falar com a gente nos comentários. E, se gostou, compartilhe com seus colegas de canto este material, que preparamos com muito carinho para vocês.

Ah! E não deixe de ler nossa matéria sobre saúde vocal, viu? Respirar bem é muito importante, mas há outros cuidados a se tomar para conquistar o sucesso.

Volte sempre! E confira outras de nossas matérias, OK?

Até logo, colega do canto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *